Que o vírus não abale nossa fé

Tenho observado toda essa questão sobre a pandemia que está acontecendo em todo o mundo e, dentre tantas coisas, algo me intriga: onde está a fé dos cristãos?

Estou vendo o desespero das pessoas a cada dia. Claro que a mídia contribui para que isso aconteça. Com aquela história ilusória de que apenas quer nos deixar bem informados, alguns canais de televisão não têm outro assunto, só o vírus. São mostrados os leitos de hospitais, o número de mortes que cresce a cada dia, inúmeros caixões que estão sendo usados para enterrar aqueles que supostamente morreram por causa do vírus...

Diante desse quadro, o emocional das pessoas está sendo abalado. O número de pessoas deprimidas está aumentando, os farmacêuticos estão vendendo mais drogas para tentar minimizar a situação e a fé... Fé? Onde está a fé?

Aqueles que demonstravam um nível espiritual acima da média já estão se entregando – ou já estão entregues -, parecendo que viviam uma mentira. Estão pensando em quê? Estão pensando em quem?

O vírus é devastador, está causando um grande estrago, está mexendo com o mundo todo... mas Deus continua sendo Deus. Ele não mudou. Ele continua sendo soberano, o todo poderoso. Para Ele não há impossíveis, sendo assim, por que temer?

Ainda não é o fim. Deus continua no controle. Esse momento passará. Lancemos sobre Deus todas as nossas ansiedades e não deixemos que esse vírus abale nossa fé.


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

E se você morrer hoje?

O dia 5 de novembro de 2021 ficará marcado na história e no coração de muita gente. Esse foi o dia da morte de Marília Mendonça, cantora sertaneja de 26 anos e que vinha fazendo um enorme sucesso. Mar

Precisamos levantar a nossa voz

Em um dia desses, estava assistindo à tv, quando, no intervalo, começou a passar o comercial de uma música. Dança pra lá de sensual e uma letra um pouco obscena. Com um pouco de curiosidade, peguei me

Que voz você tem ouvido?

Eu estava aqui, pensando nas diversas vozes do nosso tempo. Mas é bom deixar bem claro que não estou falando das “vozes musicais” (soprano, tenor, baixo...) nem da voz usada na comunicação oral. Quand